[Dorama] Good Morning Call


Nao é uma estudante do terceiro ano do ensino médio que, devido ao trabalho dos pais, acaba  tendo que morar sozinha em um apartamento durante seu último semestre. Porém, no dia da mudança, Nao descobre que outra pessoa alugou o mesmo apartamento, um garoto super popular da escola, Uehara Hisashi, que aparece afirmando que aquele é seu apartamento! Por causa do alto custo do local, eles acabam decidindo morar juntos!



Good Morning Call é um dorama (termo utilizado para novelas e seriados japonês, coreano...) adaptado do mangá e anime com o mesmo nome, de Yue Takasuka - não lançado no Brasil. A adaptação é uma parceria entre a Netflix e a Fuji Television. A primeira temporada foi lançada em 2016, com 17 episódios, de 40-50 minutos cada.

Fazia um tempo que tinha vontade de assistir algum dorama e acabava colocando outros itens para ver na minha lista de séries, desenhos, etc. Recentemente decidi matar de vez minha curiosidade das séries japonesas e Good Morning Call acabou sendo minha grande escolhida. Mesmo que eu não tivesse grande esperanças sobre o título.

Nao Yoshikawa (Haruka Fukuhara) é aquela jovem alegre, cheia de amigos, muito estabanada e precisa se esforçar muito para ir bem na escola. E claro que para a "sorte" dela, a garota acaba caindo em uma fraude de aluguel e descobre que seu novo apartamento dos sonhos também foi alugado para Hisashi Uehara (Shun'ya Shiraishi), um dos "Top 3" da escola. Hisashi é o completo oposto de Nao, sério, sem amigos, bom em tudo que faz e ótimo aluno. Aquele clichê de extremos opostos em que um é um deus maravilhoso e o outro é um patinho feio - lembrando, claro, que um patinho feio das histórias normalmente florescem de algum jeito.


Boa parte da comédia se dá pela Nao, ela é aquele tipo de personagem bem no estilo anime, que adora divagar, criando diversas situações com seu amado. Além dela, seus amigos Marina Konno (Moe Arai), Yuichi Mitsuishi (Shūgo Nagashima), Jun Abe (Kôya Nagasawa) e Issei Sata (Kentarō Sakaguchi) dão um belo complemento para as loucuras da série - eles e outros personagens que aparecem, já que todo mundo parece ser meio doidinho.


É interessante perceber as diferenças culturais ao assistir o dorama. Nao e Hisashi tem um grande preocupação que a escola descubra a situação deles estarem morando juntos, e não pense que por ser um romance terá um zilhão de beijos, amassos, etc. Os casais da série são muito contidos, inclusive a Nao fica chocada em uma cena ao ver um casal se beijando no elevador. Hisashi também não ganharia um prêmio de melhor romântico do mundo, se ele dá uns cinco sorrisos na série é muita coisa. E por ser um personagem fechado para si mesmo, tem momentos que dá um pouco de raiva dele - fiquei com vontade de gritar para ele em muitas situações. É possível que você torça para a Nao ficar com outro personagem e depois mudar de ideia. Tipo, umas 20 vezes.

Fiquei surpresa, mas realmente gostei de Good Morning Call - apesar de acreditar que a Nao precise de uma grande dose de segurança e auto-estima - e torço logo para que a segunda temporada saia logo - que aparentemente ainda nem tem data de lançamento.

GMC é uma série de comédia romântica bobinha, mas que garante muitas risadas, além de um misto de emoções. Apesar da história ser um tanto clichê, os personagens, tanto principais como secundários, conseguem cativar o público. Tanto que é fácil perder a noção das horas assistindo os episódios.

P.s.: Você vai sentir fome vendo cada episódio.


Dicas para quem vai passar o feriadão em casa

Esse final de semana já teve um ótimo feriadão e para quem adora poder ficar mais um pouco em casa, dia 21 (Tiradentes) cairá na sexta-feira, então mais um dia para aproveitar no conforto de seu lar. Assim, se também vai passar esses dias em casa, separei algumas dicas de coisas para fazer.

-Maratona de Studio Ghibli

Se você nunca viu pelo menos um filme do Studio Ghibli, pare de ler esse post agora mesmo e repare esse erro já. O estúdio foi fundado em 1985 por Hayao Miyazaki, Isao Takahata, Toshio Suzuki e Yasuyoshi Tokuma e conta com diversos sucessos como O castelo animado (clique para ler a resenha), A viagem de Chihiro, Túmulo dos vagalumes, Ponyo - Uma Amizade que Veio do Mar, entre outros.

Os filmes do estúdio abordam diversos temas e mostram que animações não são apenas para crianças. Para saber mais sobre o estúdio, recomendo o Studio Ghibli Brasil que reúne diversas informações acerca dos filmes, diretores, trilhas sonoras, etc.



-Maratona de Grey's Anatomy

Em março deste ano a série criada por Shonda Rhimes completou 12 anos de exibição, com 14 temporadas quase finalizadas e sem previsão de término. E apesar de uma parte do público acreditar que a série deveria ser finalizada antes que todos morram, sabemos que o hospital mais movimentado de Seattle ainda tem muito drama para nos oferecer.

Grey's é aquela série que te envolve e te trás um misto de emoções. Você pode começar um episódio rindo e terminar em profundas lágrimas. Além de não ter nenhuma garantia de que seu personagem favorito permaneça na série. Pouco provável que vá se entediar com um episódio da série.



-Kindle Unlimited

Para quem gosta ou ainda não se rendeu a leitura de ebooks, o Kindle Unlimited, da Amazon, está com uma ótima oportunidade para novos clientes do Unlimited, para pagar R$1,99 por três meses, podendo se inscrever até o dia 30/04 (link da promo). "Ah, mas a maioria dos livros não prestam.". Tem muito livro de autor nacional, que está começando e procura uma chance de atrair novos leitores, vale a pena dar uma chance para a leitura, conhecer um pouco mais antes de já julgar olhando a capa. Quem nunca começou um filme na Netflix e parou depois de 10 minutos, não?

E para quem gosta de literatura estrangeira também encontra boas opções, como autores como J. K. Rowling, George R. R. Martin, Maggie Stiefvater, entre outros. Inclusive comecei a leitura de Os garotos corvos, de Maggie Stiefvater pelo Kindle Unlimeted e me apaixonei. Recentemente foi divulgado que a quadrilogia será adaptada para a televisão, então vale a pena conferir - os dois primeiros livros se encontram no programa.



-Os 13 Porquês

Dia 31 de março deste ano estreou a série da Netflix Os 13 Porquês (Thirteen Reasons Why) que tem rendido diversos comentários, além de campanhas de conscientização. A série se trata de uma adaptação do livro de Jay Asher, de 2007, sendo publicado pela primeira vez no Brasil em 2009. Ainda não parei para ver a série e também não li o livro, mas quando li a sinopse na época fiquei ansiosa pela leitura. Infelizmente o preço na época - e agora - não estava nada favorável ao meu bolso. Acho válido a leitura para quem se interessou pela série e para se aprofundar mais sobre o assunto central.

[Promoção] Twin Peaks: Arquivos e Memórias, de Brad Dukes

Em março o blog fez um ano e mesmo com os atrasos das postagens não deixaríamos passar o primeiro ano do blog em branco. Mesmo que tenha demorado um pouquinho. Então vamos lá para o primeiro sorteio do ano.

Uma década antes de The Sopranos, quase duas antes de Breaking Bad, uma série repleta de camadas, subjetividade e transgressão envolvia a todos. Agora podemos voltar ao lugar onde tudo começou, ainda que existam dúvidas sobre o que de fato aconteceu. Twin Peaks [Arquivos e Memórias] é o primeiro título da Coleção Fora de Série, que, à maneira da Coleção Dissecando (O Massacre da Serra Elétrica; Evil Dead; Sexta-Feira 13), vai revelar os bastidores das séries de tv que amamos. A obra chega às livrarias em Limited Edition (capa dura), e reúne depoimentos dos criadores, dos atores e de membros da equipe, além de fotos inéditas da produção e curiosidades incríveis. Bem a tempo para revermos as duas primeiras temporadas e mergulharmos no universo da série que retorna às telas em maio de 2017.Em Twin Peaks [Arquivos e Memórias], a verdadeira história oral da pacata cidade madeireira é escrita e pesquisada por um filho nativo. Brad Dukes investigou a fundo os segredos daquele microuniverso surreal, e promete esclarecer todas as nossas dúvidas sobre Laura Palmer, Bob e o agente Cooper. O livro traz impressões inéditas e exclusivas do cocriador da série, Mark Frost, e dos principais membros da equipe e do elenco, como Kyle MacLachlan, Sheryl Lee, Joan Chen, Sherilyn Fenn, Piper Laurie, Michael Ontkean, Ray Wise e Billy Zane, entre muitos outros. Twin Peaks chega à DarkSide. Este, definitivamente, é um livro essencial. O café e a torta de cereja perfeita para os fãs dessa sombria cidade.

Regras e informações:

1- Deve ser seguidor do blog pelo Google Friend Connect (modo público).
2 - Preencher corretamente o formulário abaixo.
3 - Residir ou ter endereço de entrega no Brasil.
4 - Utilizar e-mail e ferramentas sociais (Facebook e Twitter) próprios. Não será permitido perfil de blogs, empresas, etc.
5 - O ganhador deverá responder em até 72h o e-mail da promoção enviada pelo blog. Caso passe do prazo será realizado um novo sorteio.
6 - O sorteio estará em vigor de 12-04-2017 a 12-05-2017, até 12h (horário de Brasília). O resultado sairá no dia 13-05-2017.
7 - O livro será enviado pela equipe C_Pyxis até o final do mês de maio.
8 - Em caso de descumprimento de alguma regra, será realizado um novo sorteio.


a Rafflecopter giveaway

Atualização - 15.05.2017

Parabéns a ganhadora! Enviamos um e-mail que deverá ser respondido em 72h.

[Resenha] Simplesmente o paraíso, de Julia Quinn

Honoria Smythe-Smith sabe que, para ser uma violinista ruim, ainda precisa melhorar muito…
Mesmo assim, nunca deixaria de se apresentar no concerto anual das Smythe-Smiths. Ela adora ensaiar com as três primas para manter essa tradição que já dura quase duas décadas entre as jovens solteiras da família. Além disso, de nada adiantaria se lamentar, então Honoria coloca um sorriso no rosto e se exibe no recital mais desafinado da Inglaterra, na esperança de que algum belo cavalheiro na plateia esteja em busca de uma esposa, não de uma musicista.
Marcus Holroyd foi encarregado de uma missão…
Porém não se sente tão confortável com a tarefa. Ao deixar o país, seu melhor amigo, Daniel, o fez prometer que vigiaria sua irmã Honoria, impedindo que a moça se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que ninguém lhe parece bom o bastante para ela. Aos olhos de Marcus, um marido para Honoria precisaria conhecê-la bem (de preferência, desde a infância, como ele), saber do que ela gosta (doces de todo tipo) e o que a aflige (como a tristeza pelo exílio de Daniel, que ele também sente). Será que o homem ideal para Honoria é justamente o que sempre esteve ao seu lado afastando todo e qualquer pretendente?
Se estava se sentindo órfão com a conclusão de Os Bridgertons, a série Quarteto Smythe-Smith veio para alegrar nossos corações. Antes de iniciar a história fiquei com um pouco de medo de não gostar da mesma forma que a outra série. Tinha lido críticas um pouco negativas e isso me fez duvidar se eu me sentiria novamente na Inglaterra que a autora criou - quase como um novo universo, em que a gente conhece até as grandes famílias. Felizmente terminei o primeiro livro com aquela sensação de "de volta ao lar".

A história de Marcos e Honoria começa de forma leve e divertida, com um prólogo da infância deles e uma cena de chuva com muito humor. Depois de ler a história de Violet e Edmund Bridgerton, fiquei imaginando um livro dela em que o personagens se conhecem desde a infância, e Honoria e Marcus se encaixam bem nisso. No entanto, como Quinn indica em sua dedicatória ao marido, a história do casal também tem muito sofrimento. 

Quem espera muito romance o tempo todo é capaz de não gostar muito do livro, afinal um dos motivos de aproximar ainda mais o casal é a quase morte de Marcus. Além disso, os acontecimentos desse ponto até o tão grande momento de Marcus e Honoria e o final da história se passam rápidos, no entanto a autora ainda conseguiu criar uma belíssima história de amor. Me diverti muito com os momentos do casal, eles tem uma amizade tão grande que nem eles mesmos percebem. 

Para completar, o livro ainda nos mostra o outro lado dos concertos da família Smythe-Smith, que ocorrem desde 1807 - a história do livro se passa em 1824. No início me perguntei como teriam tantas mulheres na família para participarem dos concertos, até perceber que não necessariamente todos os familiares tem o mesmo sobrenome - pensem em muitas primas, filhas, etc. No entanto, não pensem que as meninas apoiem totalmente essas apresentações. A maioria é bem ciente da falta de talento do grupo.

Se tratando do mesmo universo dos Bridgertons é claro que teríamos alguns momentos dos nossos personagens amados. Simplesmente o paraíso se passa durante 1824, mesmo ano em que acontecem os livros de Colin - que aparece nesse romance -, Eloise e Francesca, além de ser um ano antes Hyacinth. Outros personagem que figuram no livro são lady Danbury - com aquele seu jeito especial de ser -, Gregory e uma pessoa não identificada que tenho quase certeza de ser Penélope, em um dialogo que acredito que seja do livro Os segredos de Colin Bridgerton. A autora fez um verdadeiro quebra-cabeça com as histórias.

Simplesmente o paraíso é um romance maravilhoso, além daqueles momentos apenas de paixão e desejo. A história do casal é envolvente e eles tem uma química encantadora. Vale a pena a leitura.


Box Quarteto Smythe-Smith, de Julia Quinn

Para os fãs de Julia Quinn e de romances de época, o anúncio de que seria lançado um box já com os quatro livros da série de uma vez parecia um sonho. Não ter que esperar meses para ler a próxima história? E ainda ter a autora visitando novamente o país? Quase um conto de fadas. 

Preferi não comprar na pré-venda por querer esperar um melhor preço, afinal o box está sendo vendido na média por 160 reais - sendo que os livros vendidos separados estão por média, 40 reais cada, o que dá o mesmo valor do box. Fiquei surpresa com o valor dos livros, afinal a série Os Bridgertons era bem mais em conta - lembro que na Bienal do Rio de 2015, que foi a primeira vinda da autora aqui, O conde enfeitiçado que era lançamento estava saindo na faixa dos 20 reais.

Levando em consideração as resenhas e comentários que tenho lido, as avaliações tem sido medianas, então não sei se em breve tem mais chances dos títulos do quarteto abaixar de preço. Preferi comprar logo pela vinda da autora e por realmente ter achado o box incrível.

Logo que o entregador chegou, fiquei surpresa com o tamanho da embalagem. Achei que seria um pouco mais. Parece que vendo pela internet a gente não tem a ideia do tamanho real das coisas, mas olhando bem dá para ver que é do tamanho certinho dos livros. A caixa preta tem uns desenhos de partituras tanto do lado de fora, como de dentro. Infelizmente a caixa já veio uns pequenos arranhões e dá para notar os detalhes de cola quente nas dobras que guardam o livro, mas nada muito gritante. Estou um pouco preocupada em como armazenar o livro, já que parece sujar facilmente.



Minha carta da autora também veio um pouco manchada, não sei se foi pela caixa - apesar de por dentro ela ter um outro tipo de papel que não parece manchar -, como era só nos cantos superiores, não prejudicou a leitura da carta. Além da carta também tem cartões destacáveis - que não irei destacar, já que de um lado monta um conjunto (piano + nome da autora). E meu item favorito que são os marcadores de imã, que são super delicados e com as capas dos livros.





Amei as capas também. A escolha das cores fazendo contraste com o preto e as partituras foram certeiros. A Arqueiro com certeza fez um ótimo trabalho. Estou doida para ler os livros e no próximo mês postarei as resenhas para vocês. Quem aí vai ao encontro da autora?

 

[Apps] Filmow


Você já conhece o Filmow? É uma rede social de filmes, séries, novelas, etc. Toda a vez que você vê um filme você acessa o Filmow, logado ao seu perfil, e marca que já viu, se quer ver ou ainda se não quer ver e ele vai guardando essas informações, além de você e outras pessoas terem acesso ao que você tem visto e o que tem ou não tem interesse. É uma plataforma muito boa para se manter organizado e não perder o foco das coisas. Não sei vocês, mas eu tenho uma certa dificuldade de lembrar que já vi certos filmes ou em que temporada de tal série parei ou principalmente os filmes que eu tenho interesse em ver, tem tanto filme legal que com o tempo você vai esquecendo que tal filme te chamou a atenção. O Filmow é em português e possui app tanto para Android como para IOS.


Essa aqui é a barra do Filmow, como podemos ver ele separa as opções em filmes, séries e TV, além de possuir a aba listas (sim, você pode fazer listas e compartilhar com as pessoas!), a aba artistas, usuários, notícias e grupos.


A aba filmes possui subcategorias como todos, nos cinemas, estreias, em breve, DVD/Blu-ray e curtas metragens, além de poder selecionar pelos gêneros. Acho essas subcategorias bem legais, mas nem sempre elas funcionam certinho.


Não gosto muito do Filmow para séries porque ele trabalha com temporadas e não episódios, então ao marcar que vi, por exemplo, a série The family, eu marco a temporada completa, o que não ajuda muito se eu só ver alguns episódios apenas e depois quiser voltar a ver.


Além disso é possível atribuir notas, marcar como favorito, indicar, comentar sobre, pode ver informações, como quem faz parte do elenco, quem dirigiu, etc. Além de informações sobre os usuários, quem viu, quem quer ver, quem não quer, em listas que ela se encontra.


Acho interessante eles colocarem a opção para novelas, mas me sinto roubando um pouco porque novela é o tipo de coisa que a gente assiste mas também não assiste, é difícil a gente assistir uma novela completa sem perder nenhum episódio, então eu não marco muitas novelas, apesar de que no fim sei o desenrolar dela, rs.


Confesso que eu não uso muito as listas, nunca fiz uma mas já dei algumas olhadas em listas feitas por outras pessoas, é uma boa opção quando você tá procurando filmes de determinado tema ou para passar o tempo, rs.


Em artistas é possível marcar como fã de determinado artista, você recebe umas informações sobre ele como biografia, idade, aniversários, essas coisas acho meio inútil, mas uma coisa bem legal é que dá para ver filmes que esse artista já participou como personagem, produtor, etc. Vou deixar um exemplo aqui da Meryl Streep e como é o perfil dela.


Quando você loga no seu perfil, aparece essas opções para o usuário


Além disso você tem acesso a informações como quantos filmes você quer ver, quanto filmes você já viu, as horas que você gastou, os filmes que você assistiu recentemente, os selos que você ganha por concluir determinada opção, quem são seus amigos do Filmow, os seus ídolos, as listas, os grupos que você faz parte, etc.


Então gente, o Filmow tem muito mais a ser explorado, quis fazer um resumão mais ou menos do que é e mostrar a carinha dele, vale muito a pena usar, principalmente pra quem é meio perdido como eu, me ajuda muito desde que eu resolvi organizar os filmes e é sempre bom saber o que as pessoas tão achando. Usem (ou não) e depois digam o que acharam!

[HQ] Marceline e as rainhas do grito


Graças a um recém-descoberto interesse em rock, a Princesa Jujuba se oferece para ser a empresária da banda de rock paranormal de Marceline, em uma turnê por toda a terra de Ooo! Mas quando o grupo é ameaçado por tudo, desde embalões metidos até monstros gerados por dúvidas internas, conseguirão eles permanecer unidos e manter a amizade em todo o processo?





Hora de aventura é um dos meus desenhos animados favoritos, assim como a Marcie é um de minhas personagens favoritas, então logo que vi essa HQ pela primeira fez já fiquei babando por ele. Marceline e as rainhas do grito foi lançado em 2015 pela Panini Comics, em edição de capa dura, com um compilado das histórias publicadas originalmente em Adventure Time: Marceline and the scream queens, título em inglês do quadrinho e que foi lançado de forma separada.

Gostei da escolha dessa "edição definitiva" da história, afinal, não sei se teria vontade de comprar o título se fosse vendido como uma revistinha de quadrinhos como vemos usualmente. Apesar de gostar de quadrinhos e do desenho, foi todo o visual da capa que me conquistou na compra (sim, julguei pela capa).

A história em si não é algo muito animador. Não espere algo muito maduro por ser fora do desenho. Já ouvi que a outra HQ de Hora de Aventura que não é publicada aqui tem um amadurecimento maior que na serie animada, mas nesse título em particular não tem nada muito grande. Podemos ver um pouco do entrosamento da Marcie com a Jujuba, mas nada muito além também.

Além da história central, que é acompanhando a turnê da banda, ainda acontecem outras histórias intercalando cada capítulo. No entanto, as histórias ou são relacionadas com a história central ou com algo musical. Gostei dessa ideia de intercalar os capítulos e o visual diferente de cada "capítulo extra". O meu favorito foi o do Jake e Lady Íris, simples e fofo. E ainda com a Caroço dando seu melhor conselho de vida.

Recomendo o título para quem é fã do desenho. Acho que quem nunca assistiu Hora de Aventura, possivelmente não irá gostar muito da história ou mesmo entender - afinal, não tem apresentação de todos os personagens. Adorei as ilustrações, principalmente a "Galeria de capas" que contêm no final. Ademais, é uma belíssima HQ para entrar na coleção dos fãs.